Ação do GGL na Serra do Mato Grosso revela problema ambiental em Saquarema

Pela data da semana de meio ambiente, o grupo do GGL de Saquarema do NEA-BC realizou simbólica limpeza em uma das cachoeiras da Serra do Mato Grosso, um ambiente natural de grande importância por sua beleza e contribuição para um ambiente saudável. Simbólica, pois o grupo deparou com enorme quantidade de resíduos, que são deixados diariamente pelos frequentadores (banhistas e religiosos, vindos de vários lugares da região).

O povo de outras localidades visitam o local por sua beleza verde, suas águas claras, o ar puro... Então, se gostam da beleza natural, por que uma incoerência tão grande? Por que deixar o lugar tão sujo, se o que os levou ali foi exatamente o contrário? A mata, o ar, água limpa, que inclusive é a água que os moradores bebem por não terem saneamento básico no bairro.

Foi observado que quase todo o lixo encontrado era de artigos religiosos, que são deixados na área por verem o espaço natural como sagrado para a prática de sua religião, mas que causam problemas na conservação do local e até de saúde. Entendendo que esse conflito não pode ser tratado com violência e discriminação, o governo do estado, através da Secretaria do Ambiente e INEA, há anos desenvolveu um diálogo e um trabalho de educação ambiental com diversas religiões, tendo como um dos eixos o respeito à liberdade religiosa acompanhada de medidas que também garantissem o respeito ao ambiente natural. Como resultado desse diálogo, foi publicado em 2014 um documento, Decálogo das Oferendas, com medidas para seleção de materiais, disposição, recolha posterior, destinação para impedir incêndios florestais, poluição hídrica e ameaças à fauna. Infelizmente esse programa foi descontinuado, mas pode servir de referência, pois o poder público não pode deixar sua responsabilidade de manter o ambiente conservado, saudável e bonito da Serra do Mato Grosso.

Alguns moradores, junto com o grupo, se prontificaram a colaborar na coleta de resíduos com o propósito de incentivar os demais, pois seria crucial que a limpeza se mantivesse, dado que a quantidade de resíduos era imensa. O olhar cuidadoso com a região, disponibilizando estrutura (pessoal e equipamentos) adequada para a manutenção da limpeza da área é essencial para a saúde e qualidade de vida da população da Serra e de Saquarema.

Ao concluírem essa pequena contribuição, o grupo ainda relembra que, segundo o artigo 225 da Constituição Federal, “Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.”.

Os registros feitos serão encaminhados à Secretaria Municipal de Meio Ambiente para  que possam ser tomadas as devidas providências.

Edivaldo Brasil auxilia Zélia na coleta do lixo

Zélia Maciel coleta os resíduos encontrados

Davi Miranda recolhe tecidos jogados nas margens da cachoeira

Placa sinaliza o que não é feito no local

Grupo mostra resultado do trabalho feito no dia

Posts Relacionados:

Nenhum comentário

Leave a comment